I can tell the world – Continuação 2

Postado em

Negro spirituals
Mais um post “roubado” do blog do Madrigale, escrito por Arnon Sávio Reis de Oliveira.

As melodias e os ritmos, antes de 1865

As melodias e os ritmos dos negro spirituals e canções Gospel são altamente influenciadas pela música do ambiente cultural de uma época. Isto significa que seu estilo está continuamente mudando.

Os primeiros negro spirituals foram inspirados pela música africana, diretamente, mesmo que as melodias não estivessem muito distantes daquelas dos hinos. Algumas delas, as quais eram chamadas de “shouts” eram acompanhadas com danças típicas que incluíam palmas e batidas de pés.

SHOUTS
Depois de um culto regular, as congregações costumavam permanecer para um “ring shout”. Era uma manutenção das danças primitivas africanas. Posteriormente, isto foi proibido por ministros e membros mais educados. Homens e mulheres formavam um círculo ou anel e a música começava, talvez com um Spiritual, e o anel começava a se mover, a princípio lentamente, depois com passos rápidos. A mesma frase musical era repetida por hora, o que produzia um estado de êxtase. As mulheres gritavam e caía e os homens, exaustos, saiam do anel.

Alguns cantos religiosos afro-americanos desta época eram chamados de gemidos (moan) ou sussurros (groan). Mas isto não quer dizer dor. É um tipo de feliz rendição proporcionada por uma canção, frequentemente misturada com um zumbido e variações melódicas espontâneas. (extraído de www.negrospiritual.com)

Ouçam The Battle of Jericho, cantado pelo Nathaniel Dett Choir:
http://www.youtube.com/watch?v=Ks7fLAwzVxY

Ouçam The Battle of Jericho, cantado pelo CORO MADRIGALE:
http://www.youtube.com/watch?v=0ONB00IFIYQ (solo de Isabela Santos para “derrubar as muralhas”)

Anúncios