passaporte

Cortei o cabelo (de novo de novo)

Postado em Atualizado em

Acho que estou ficando compulsiva… cortei o cabelo de novo hoje! Desta vez com a Ana Paula fofa.

Tiago, não precisa ficar com ciúmes, tem cabelo para todos! 😉 E outra, agora meu passaporte português tem o cabelo do Tiago e o novo brasileiro o da Ana Paula. Fui na Polícia e eles “recolheram” impressão digital de todos os meus dedos e fizeram a foto na hora. Vão me entregar daqui uns 5 dias.

Anúncios

Novo Passaporte Brasileiro

Postado em

Fui na Policia Federal pedir um novo passaporte brasileiro. O meu vencerá muito próximo da minha data de volta (e se eu resolver adiar a volta… aí vence mesmo!) Fiz o pedido pela internet e tentei agendar também pela net, mas a próxima data era após a minha viagem, então fui pessoalmente lá pedir o passaporte munida de toda a documentação necessária. Como boa brasileira desconfiada, levei mais documentos e ainda cópias de outros. Fui na agência nova da Av. Francisco Deslandes, 900 e fiquei impressionada com a rapidez no atendimento. Tinha uma fila escrito “fila, aqui em pé”. Pensei: “furada”, mas não foi. A fila ia rápido apesar de ter só uma mocinha atendendo. Será que dei sorte? Bom… a mocinha marcou pro final de julho pra eu pegar meu passaporte, mas ainda não entendi direto como será, eles devem estar fazendo foto e tudo mais na hora né?

Stadtsbürgerschaft (Cidadania) – parte 4

Postado em Atualizado em

Quando o Bilhete de Identidade do meu pai chegou (dei azar…a leva dele atrasou bem mais que 60 dias úteis), finalmente dei entrada no meu processo de nacionalidade, no final de novembro de 2009. Aí em janeiro já tinha saído!

Assim que cheguei da Alemanha, dia 15 de janeiro, já pedi no Portal do Cidadão minha certidão de nascimento portuguesa. O melhor é não pedir correspondência “registrada em mão”, pois demora mais! Peça a comum porque chega em uns 15 dias. Aí assim que chegou a certidão, fui com aqueles documentos pra pedir Bilhete de Identidade e ficou pronto semana passada. Já pedi pra fazer meu passaporte na hora. Não precisa levar nada, só o Bilhete Português. E pagar uma taxa de 180 reais. Ficou pronto dia 7 de junho, agora sou mais que oficialmente uma cidadã Europeia.

Na foto eu e a Flávia do Consulado, que cuida da Identidade e Passaporte. A Flávia linda e eu toda mal arrumada e com sono. Mas felizzzz da vida com o passaporte novo!


Como eu falei, estou de passagem comprada para Berlim pro dia 9 de agosto. Chego lá dia 10 ao meio dia, no aeroporto Tegel, pela Air France.

Stadtsbürgerschaft (Cidadania) – parte 3

Postado em

Meu pai pediu então a cidadania. De uns tempos pra cá tem saído bem rápido, pois está informatizado o processo. Aí quando ficou pronta ele foi pedir o Bilhete de Identidade Portuguesa. Para isso os documentos necessários foram:

-Bilhete de Identidade anterior ou quando não possuir B.I. anterior ou mesmo precisa de alterações, trazer ORIGINAL e uma cópia da certidão narrativa de nascimento (para fins diversos), com menos de 180 dias de emissão e com estado civil atualizado. A certidão pode ser obtida pelo site www.portaldocidadao.pt ;

-2 fotos 3×4 coloridas, recentes e com fundo branco;

-2 cópias autenticadas em cartório de Notas da carteira de identidade brasileira (não pode ser carteira de motorista);

-Cópia do comprovante de residência do último mês;

-Cerca de R$70,00 em dinheiro;

Demora cerca de 60 dias ÚTEIS. O telefone do Consulado de Portugal em Belo Horizonte é 3291-8192. Tenha paciência porque é um pouquinho difícil de falar lá. Melhor ir pessoalmente. A Juliana, que cuida da nacionalidade, é muito bacana e a Flávia, da identidade, também.

Stadtsbürgerschaft (Cidadania) – parte 2

Postado em

Aí como o primeiro juíz não aceitou mudar o nome da minha vó pro nome que já era dela (!?), o Roberto apelou (sei lá o que ele fez…essas coisas jurídicas) e outro juíz olhou o caso. Este, bem mais sensato, concordou em alterar o nome nas certidões de nascimento dos filhos para o mesmo nome de solteira, Ormezinda Martins de Oliveira, que era simplesmente o nome que estava desde o princípio na certidão dela de nascimento e casamento. Nossa, quase que estou me perdendo aqui de tão complicada a história. Mas vamos lá…

Meu pai teve que tirar uma nova certidão de nascimento, com o nome certo da mãe dele. E depois uma nova carteira de identidade. Aí finalmente ele pediu um moooonte de papéis, como certidão de nascimento do meu avô lá em Portugal, que já estava no Arquivo da Universidade de Coimbra e eu custei a achar, e deu entrada no pedido de cidadania.

Os documentos necessários para pedir sua nacionalidade portuguesa no Consulado aqui em BH são:

Exigência prévia:
-Casamento e óbito (se for o caso) averbados na certidão de nascimento do progenitor português.

Agora os documentos:
-Certidão de INTEIRO TEOR de nascimento do requerente (original e cópia autenticada), emitida há menos de 6 meses. A certidão de nascimento original deverá ser reconhecida em cartório de notas e depois legalizada no Itamaraty (Rua Timbiras, 1200, sala 805, de 14:30 às 17h). OBS. A cópia da certidão deverá ser feita e autenticada após a original ter sido reconhecida e legalizada;

-Certidão NARRATIVA de nascimento (para fins diversos, no Portal do Cidadão) do progenitor português, emitida a menos de 6 meses, com estado civil atualizado. O original e uma cópia simples;

-Requerimento e declaração de nascimento (pegar modelo no Consulado);

-Cópia simples da certidão de nascimento ou de casamento do outro progenitor;

-Carteira de Identidade do requerente (2 cópias autenticadas);

-Cópia simples dos documentos de identificação dos pais (bilhete de identidade e carteira de identidade do que não for português);

-1 foto 3×4 colorida e recente;

-Comprovante de residência do último mês.

Stadtsbürgerschaft (Cidadania) – parte 1

Postado em Atualizado em

Estou olhando as questões para tirar minha cidadania portuguesa desde 2001 eu acho… meu avô era português, ora pois. Pai do meu pai, nascido em 1887, mesmo ano que nasceu Heitor Villa Lobos. Mas o meu vô nasceu no concelho de Figueira da Foz e Villa Lobos no Rio de Janeiro. Vou esquecer Villa Lobos agora porque ele não tem absolutamente nada a ver com a minha história de nacionalidade portuguesa.

Meus pais são jornalistas (agora aposentados) e me ensinaram a dar sempre o “lead” no primeiro parágrafo, que no caso escrevi outro dia já, mas vou resumir mais claramente: tirei minha nacionalidade portuguesa, fiz meu bilhete de identidade e dia 7 de junho ficará pronto meu passaporte português.

Fui das primeiras na família do meu pai a olhar essa questão da nacionalidade e a me interessar por ela. Em 2001 era tudo bem mais difícil do que hoje, nada era digital e tudo a gente esbarrava em papelada difícil de achar e com uma validade mínima. O primeiro passo foi fazer a transcrição do casamento dos meus avós: Seu Antonio e Dona Ormezinda. Custa uns 500 reais.

Não consegui fazer a tal transcrição de jeito nenhum, porque estava escrito na certidão de casamento: “passou a assinar o mesmo nome: Ormezinda Martins de Oliveira” e nas certidões de nascimento dos 12 filhos “Ormezinda de Oliveira Santos”. Ao que parece, minha vó, do nada, resolveu assinar nome de casada. E na época o cartório aceitou, mesmo sem ela ter nenhum documento com este nome novo. Aí nisso fiquei parada uns anos…sem saber o que fazer. Foi quando finalmente conheci meu primo Roberto (família grande dá nisso, a gente nem sabe os nomes do mil primos que a gente tem), que é advogado e também tinha interesse em ter a cidadania. Ele foi ao Consulado vestido como gente normal e obteve o mesmo sucesso que eu: nenhum. Depois voltou todo engomado e de terno e fazendo banca de advogado e descobriu que a transcrição do casamento já estava feita! oh! Mas mesmo assim tivemos que entrar na justiça para pedir pra alterar o nome da minha vó na certidão de nascimento do meu pai e meus tios e tias. Senão eles não iriam conseguir pedir a nacionalidade deles, pois a nome da mãe estava diferente e Portugal não ia reconhecer como a mesma pessoa. Entramos na justiça. Aí veio o primeiro juiz e não aceitou!!! O que??? Falou que a pessoa, mesmo depois de falecida, tinha o direito de conservar seu nome… Como assim??

(aguardem partes 2, 3 e 4)

Muitas coisas inúteis pra quem lê

Postado em

1- Sou a mais nova cidadã portuguesa. Busquei hoje no Consulado meu bilhete de identidade (é assim que chama) e já fiz meu passaporte. Novinho, tudo digital e com chip. obs. Gastei $ com o passaporte (e antes também com a ID).
2- Eu queria ser dona do California Coffee. obs. Gastei $ com um café com baunilha.
3- Tomei vacina de Hepatite A+B no laboratório Humberto Abraão. A técnica em enfermagem que me atendeu, Helena, era uma gracinha. Nunca vi mão melhor pra aplicar vacina. Eu nem desmaiei (como de costume). obs. Gastei $ com a vacina.
4- Almocei na Gigi pelo segundo dia consecutivo. obs. nenhuma, tava tudo ótimo.
5- Minha aula de sapateado foi ótima. Peguei um exercício meio longo de primeira! obs. eu nunca pego de primeira.

cabou.