Mês: março 2013

Falta de Vitamina D na Alemanha!

Postado em

Resumindo tudo: eu estou com carência de vitamina D e já estou tomando a reposição. Meu nível está 9.3, enquanto o MÍNIMO normal seria 20, e disso o MÍNIMO ideal é de 30-60, sendo considerado bom 50. Eu estava muito cansada há vários meses e hoje que sei de tudo vejo como tudo está conectado e faz sentido. Recentemente descobri um médico em Berlim, na Friedrichstr. 147 que escreveu o doutorado dele sobre isso, Dr. Schober. Ele viu meus exames e pediu pra eu tomar uma dose inicial de 100.000UI e depois mais 40.000 por semana por ser 6 semanas, aí vou fazer outro exame. Ele falou que é ridícula a falta de informação no meio médico aqui na Alemanha sobre isso e que é absurda as doses de 1000ui que os médicos receitam, isso quando receitam. Falou que com certeza  mais de 90% da população da Alemanha é deficiente de vitamina D e se faz pouco pra mudar isso.

Desenvolvendo um pouco: só comecei a fazer a reposição deste hormônio (a verdade é que vitamina D é um hormônio) há pouco mais de 1 mês, sendo que há umas 2 semanas tive certeza que a dosagem de 1000UI (unidades internacionais), em alemão IE (Internationalen Einheiten) que a médica nefrologista em Berlim me recomendou era muito baixa. É seguro tomar até 10.000 unidades (cada comprimido normalmente vendido aqui em qualquer Apotheke contém 1000 UI e não precisa de receita pra comprar.) Uma caixa com 100 comprimidos custa menos de 8€. E os comprimidos de 20.000 UI só vendem com receita e um vidrinho com 50 cápsulas custa 23€.

A falta de sol aqui é muita, principalmente se pensar que venho do Brasil. Por outro lado, pode ser que meu nível de vitamina já estivesse baixo no Brasil, pois sou muito branquinha, fico vermelha em poucos minutos ao sol e sempre achei que sol só fazia mal.

Agora a história longa (LONGA MESMO): desde o meio de 2012 mais ou menos comecei a perceber que eu estava mais cansada que o normal. Meu marido dizia que era preguiça. Fui ao clínico geral aqui em Berlim e ele fez uns exames de sangue, descobriu que minha creatinina tava um pouquinho acima do normal e desconfiou também de hipotiroidismo, me mandou fazer um scan da tiroide. Não deu nada. Fui a outro médico que pediu pra repetir o exame de sangue. A tal creatinina aumentou um pouquinho mais. Ele disse que não era nada preocupante mas que ia me encaminhar pra uma nefrologista. No meio tempo comecei a ficar não só cansada, mas exausta. Isso tinha a ver também com o ritmo super intensivo de ensaios que eu estava tendo para o musical que participei. Eu, que estava antes num período sem fazer praticamente nenhum exercício físico, de repente tinha até 8 horas diárias de ensaios coreográficos por dia. Achei que eu estava simplesmente totalmente fora de forma e pronto. Comecei a lutar com meu corpo pra dar conta de tudo. Chegava em casa exausta, não tinha vontade nem de comer da tão cansada. Aí fui perdendo peso, o que não achei ruim também, afinal já tava tentando perder peso há um tempo, já tinha tentado academia, hidroginástica e dietas e nada dava certo. Cheguei a ir ao médico também pra saber se tinha algo errado, porque eu não conseguia emagrecer. Fiz uns 3 exames de sangue em dias diferentes e nada.

Emagreci 4-5kg, já estava relativamente em forma, dando conta de tudo no espetáculo, cantava, atuava e dançava ao mesmo tempo e estava satisfeita com a batalha que venci contra meu corpo ocioso, mas continuava exausta! Dava conta de tudo mas depois botava os bofes todos pra fora, haja!!! Foi aí que meu pai entrou na história, ele, que mora no Brasil e andou lendo sobre vitamina D, falou que esse cansaço que eu estava poderia muito bem ser isso. Eu, ainda um pouco descrente mas tendo lido que os sintomas podiam sim ser isso, pedi o exame à médica. Ela concordou, mas se eu não tivesse pedido ela não faria! Pediu exames de urina também. Descobrimos então que minha creatinina estava ainda um pouco maior, mas que a substância que realmente significa o bom funcionamento dos rins estava boa. E… a vitamina D estava MUITO abaixo: 9.3, quando o normal seria de 40-60. Aqui na Alemanha é dito 20-40, o que já vi também nas pesquisas americanas que é pouco. O ideal mesmo é considerar normal entre 40-60. Sobre a cretinina um pouquinho elevada, a médica foi me assistir na peça e falou que viu que eu fazia realmente muito esforço físico e não era pra eu me preocupar com a creatinina. Pois bem, mas a vitamina D sim era um problema, então ela me passou uma cápsula que é normalmente usada em tratamento de osteoporose aqui: Sandoz 1000IE (Vitamin D, Folsäure, B12, B6 e K). Tomei 1 cápsula por dia por pouco mais de 2 semanas. O musical já tinha acabado, eu já estava mais descansada e fiquei 10 dias em férias em Portugal. Quando voltei, comecei a ler ainda mais sobre o assunto, principalmente sobre a dosagem e desconfiei que era muito pouco pra mim. Fui a outro médico, este não sabia nada sobre o assunto e ainda falou que ele tinha mais deficiência que a minha e foi na mesma médica que eu e está tomando o mesmo complexo. Contei pra ele tudo que li e que eu achava que deveria tomar pelo menos 4mil UI por dia. Ele, ainda cético, tentou procurar nos livros dele a dosagem pra mim. Não achou nada. Eu falei que li também que nos livros médicos não existe quase nada sobre isso, só em pesquisas e jornais médicos. Ele então concordou que eu comprasse por conta própria uma caixa de Vitamina D3 e tomasse junto com o outro complexo passado pela nefrologista. Não estava ainda satisfeita e fui lendo ainda mais e cheguei a conclusão que devia tomar 10000UI por dia até meu nível se normalizar. Estou impressionada com a falta de informação dos médicos aqui em Berlim. E já vi também no pouco que se pode encontrar aberto ao público em alemão que as dosagens recomendadas são muito baixas, sendo que pra um país com tão pouco sol a preocupação com isso deveria ser muito maior que no Brasil. Entretanto as maiores, melhores e mais confiáveis informações vieram de sites, entrevistas e vídeos brasileiros (também americanos). Já comecei a falar com todos que eu conheço aqui sobre isso e a maioria não me leva a sério, nem o médico com carência parece que levou. Parece que os médicos acham aqui em 10.000UI ao dia é muito…é perigoso, sendo que já está cientificamente comprovado que não é! 10mil unidades é o quanto o próprio corpo produz quando exposto ao sol 15 minutos, segundo Dr. Cícero Coimbra, um especialista em tratar doenças auto imunes com altas doses de vitamina D. O Dr. Schober, que escreveu o doutorado dele relacionando a Vitamina D e mortalidade em pacientes de hemodiálise, disse que o corpo produz até 50mil UI. De toda forma, o sol tem que ser tomado pelo menos nos braços e rosto e o horário acredito que é entre 11 e 16h, mas quanto ao horário certo ainda não sei. De toda forma isso pra mim agora ainda não adianta, ainda estamos aqui no inverno (recém entrada primavera) e mesmo nos dias de sol, não dá pra sair de braço de fora com essas temperaturas geladas! O meu clínico geral falou que não acha que eu deveria tomar mais que 4000 unidades quando tivemos essa última conversa. Ele, que tem mais carência de vitamina que eu e é médico!

Eu escrevi ali em cima que meu texto ia ser bem longo…se você chegou até aqui, parabéns… mais ainda tem mais.

Eu vejo aqui em Berlim que as pessoas ficam FREQUENTEMENTE doentes, principalmente com gripes e resfriados. Os médicos aqui receitam beber muito chá e ficar em casa de molho a semana toda e dão atestados médicos. Eu fico boba mesmo de ver. É  o tempo todo, pra todo lado, durante o ano todo, mas principalmente no inverno. É incrivelmente mais que no Brasil. Também vejo que muitos não tem a menor educação e espirram e tossem sem cobrir a boca e quando cobrem normalmente é com as mãos, que muitos sequer se preocupam em lavar depois ou sequer tentar limpar com um lenço (Mas isso já é outro tema e vem de educação de casa né…). Também vejo MUITA gente usando todo tipo de andador. Isso pode ter sido causado também por falta de vitamina D. É já comprovado que quanto mais longe da linha do Equador o país está, maior a taxa de pessoas com doenças auto imunes.

Estou me sentindo cada vez melhor e mais disposta. Fico mais descansada com menos horas de sono, pra mim o dia ficou maior e mais produtivo. Também não tenho mais aquela preguiça enorme que estava sentindo há uns tempos e acho que todo mundo que eu conheço devia fazer o exame, só por fazer mesmo. Custa o que? Um pouquinho só do seu tempo, pra um bem gigante. Se você não tiver a deficiência, que bom! Já sabe então que faz bem se expor ao sol sem protetor solar por alguns minutos todo dia. Se tem a deficiência, já sabe o que pode fazer e da possível resistência e falta de informação de alguns médicos, e já tem argumentos e experimentos para combater isso. Fora que a vitamina D pode ser comprada sem receita. Aqui na Alemanha é vendida normalmente em comprimidos de 1000 cada um ou de 20mil, estes sim precisam de receita. É raríssimo super dosagem de vitamina D.

Anúncios

Palestra com música na Embaixada de Berlim

Postado em

Desta vez postei com atraso. O evento foi ontem na embaixada do Brasil em Berlim, estava cheio e eu cantei algumas músicas para exemplificar o que Dr. Manfred Krapp dizia, acompanhado por ele próprio ao piano. Cantei: Garota de Ipanema, Corcovado, Desafinado, Bonita, Meditação e Inútil Paisagem. Parece que mais palestras como esta virão. Veremos.

Nos dias 18 e 19 de março de 2013 serão comemorados os 50 anos do lançamento do álbum Getz/Gilberto, que trazia a faixa “Garota de Ipanema”, composta por Tom Jobim e Vinícius de Morais. Internacionalmente conhecida, essa canção consagrou o Rio de Janeiro como cidade por excelência dos desejos masculinos.
Esse ícone da feminilidade brasileira será analisado em sua perspectiva psicológica em uma palestra com acompanhamento musical (voz: Isabela Santos, piano: Manfred Krapp). A versão original da canção vai muito além do clichê da garota sedutora e charmosa – mas, em última instância, inatingível – que é objeto de desejo do poeta. A versão em português aponta para um profundo processo de sublimação do desejo masculino. O Dr. Med. Manfred Krapp é especializado em medicina psicosomática e psicanálise, é psiquiatra e psicoanalista com consultório em Berlim.

Local: Embaixada do Brasil, Wallstr. 57, 10179 Berlim.
Entrada gratuita. Exige-se inscrição pelo endereço eletrônico cultural.berlin@itamarty.gov. br

19. März  um 19 Uhr

Vortrag mit musikalischer Begleitung
“Die Garota de Ipanema und ihre Magie: Eine Hommage zum 50. Geburtstag“
von Dr. med. Manfred Krapp

Am 18. und 19. März 2013 jährt sich die Einspielung der LP Getz / Gilberto mit dem Song „Garota de Ipanema/Girl of
Ipanema“ von Antonio Carlos Jobim und Vinicius de Moraes zum fünfzigsten Mal. Dieser weltberühmte Bossa-Nova-
Song machte Rio de Janeiro zum Inbegriff eines sehnsuchtsvollen männlichen Begehrens.
In einem Vortrag mit musikalischer Begleitung (Gesang: Isabela Santos, Klavier: Manfred Krapp) soll diese Ikone des
brasilianischen Weiblichen aus tiefenpsychologischer Sicht gewürdigt werden. Dieses Lied zeichnet nicht nur das Klischee
eines verführerisch-bezaubernden, aber letztlich unnahbaren Mädchens, auf das die US-amerikanische Adaptation
fokussiert. Die brasilianische Originalversion beinhaltet einen tiefgehenden Sublimierungsprozess des männlichen
Begehrens, indem das Mädchen die ekstatische Einheit des Menschen mit der Natur und die Weltseele verkörpert. Eine
vergleichende Betrachtung mit anderen Kompositionen von A. C. Jobim und seine Lebensgeschichte verdeutlichen, wie
im „Garota de Ipanema“ die Ambiguität des Weiblichen für den Mann überwunden wird.
Dr. med. Manfred Krapp ist Facharzt für Psychosomatische Medizin und Psychotherapie, Psychiater und Psychoanalytiker mit
eigener Praxis in Berlin.

Ort: Brasilianische Botschaft, Wallstr. 57, 10179 Berlin. Um Anmeldung wird gebeten unter
cultural.berlim@itamaraty.gov.br